11 Junho 2023

Guia completo para montar um consultório odontológico

Você sabia que, no Brasil, há 1 cirurgião-dentista para cada 558 pessoas? Em termos de saúde pública, trata-se de um cenário positivo, uma vez que a recomendação da OMS é de haja 1 profissional para cada 1.200

Contudo, para quem pretende empreender na área, este dado aponta que existe um alto nível de competitividade no mercado

Sendo assim, o segredo para ter relevância e bons resultados financeiros está na construção de uma reputação profissional sólida.

Neste sentido, um bom consultório odontológico faz toda a diferença. 

Não basta oferecer serviços de qualidade, é preciso se preocupar com a infraestrutura e, claro, conhecer as técnicas e procedimentos necessários para administrar este espaço de trabalho com estratégia e assertividade.

Para te ajudar nesta missão tão importante, construímos este guia com 10 passos essenciais para montar um consultório odontológico bem-sucedido.

Continue a leitura, aproveite para tirar suas dúvidas e comece seu empreendimento com o pé direito! 

Passo a passo para você montar o seu consultório odontológico

Praticamente todo dentista, recém-formado ou não, que já considerou abrir um consultório odontológico em algum momento se sentiu perdido e sem saber por onde começar. 

O objetivo deste artigo é te ajudar a eliminar as incertezas, oferecendo um ponto de partida claro para ajudar você a estruturar o seu negócio. Ao todo, sugerimos 10 etapas básicas para nortear o seu planejamento. São elas:

  1. Plano de negócios

Antes de tudo, você precisa estruturar um bom plano de negócios. Afinal, é ele que descreve toda a operação, definindo os objetivos que sua empresa pretende alcançar, o público-alvo que será atendido e as estratégias de gestão. O documento deve conter:

    • Plano de operação: trata-se de uma espécie de manual, que descreve detalhadamente todas as tarefas necessárias para o seu consultório funcionar de forma organizada e eficiente, desde a recepção, até a realização dos procedimentos e demais processos;

    • Plano financeiro: ao prever os primeiros números, como projeções de faturamento, custos operacionais, com aquisições, entre outros, este plano revela como você deverá gerenciar o negócio para obter um faturamento equilibrado e lucrativo;

    • Plano de marketing: detalha as ações de captação de pacientes e estratégias de relacionamento com o público-alvo, a fim de movimentar as fontes de receita e consolidar seu posicionamento no mercado (abordaremos mais detalhes adiante).

  1. Localização estratégica

Durante a elaboração do seu plano de negócios, considere também a localização do consultório odontológico para tomar decisões assertivas.

Por exemplo, se você deseja atuar como clínico geral ou oferecer serviços populares, faz mais sentido atuar em bairros com menor poder aquisitivo, que têm uma procura maior por serviços básicos de cuidado bucal.

Já se a ideia é disponibilizar um atendimento mais especializado ou de alto padrão, o ideal é focar em áreas nobres. Afinal, nelas o poder aquisitivo e a demanda por soluções odontológicas específicas são maiores. 

Claro que isso não é uma regra absoluta, já que as realidades variam de acordo com cada região. Em todo caso, vale a pena estudar as localidades e considerar as particularidades de cada uma delas na hora de fazer o planejamento. 

  1. Pesquisa de mercado

Mais que estudar a região de atuação, é importante analisar o seu mercado como um todo. Isso permite entender o quão atrativo é seu segmento, quais as suas melhores oportunidades, além dos potenciais riscos.

A ideia dessa pesquisa é evidenciar quais são as principais características mercadológicas do ambiente em que seu consultório odontológico estará inserido. Isso inclui:

    • Tamanho do mercado;
    • Velocidade de entrada;
    • Investimento inicial necessário;
    • Exclusividade de oferta;
    • Potencial de precificação;
    • Características demográficas e de consumo do público-alvo;
    • Lucratividade potencial;
    • Custo e potencial de aquisição de clientes;
    • Entre outros dados pertinentes.

Com base nessas informações, você será mais fácil identificar a viabilidade do negócio, as melhores oportunidades para ele explorar e quais ameaças deverão ser superadas nessa trajetória. 

    1. Serviços e especialidades oferecidas

Ainda em relação à análise de mercado, ela também ajudará a evidenciar quais serviços mais fazem sentido para a realidade da sua empresa. 

O mais importante é saber quem serão os seus potenciais clientes, quais procedimentos odontológicos eles costumam procurar, quanto estão dispostos a pagar e se a demanda está alinhada ao seu plano de negócios.

Claro que essa é uma via de mão dupla: além de definir os serviços com base no público que você quer atender, também é possível começar pelas especialidades que deseja oferecer e então definir em qual mercado o seu consultório odontológico irá atuar a partir disso.

Independentemente da ordem dos fatores, procure alinhar a demanda com aquilo que você mais gosta de fazer enquanto dentista

Assim, suas chances de prestar um ótimo atendimento e conquistar a clientela serão muito maiores. 

    1. Legalização e documentação

Como toda empresa, um consultório de dentista precisa atender a uma série de exigências legais para atuar. 

O ideal é consultar a documentação necessária junto ao CRO do seu estado, mas os documentos básicos geralmente incluem:

    • Registro no Conselho Regional de Odontologia do estado;
    • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica;
    • Inscrição na prefeitura e na Junta Comercial da cidade;
    • Alvará de funcionamento;
    • Inscrição estadual;
    • Licença sanitária;
    • Laudo AVCB do Corpo de Bombeiros;
    • Inscrição na Caixa Econômica Federal para recolhimento de FGTS e INSS.

Além disso, todo consultório odontológico precisa ter um plano de gerenciamento de resíduos. Para implementá-lo, você precisa contratar uma empresa especializada para fazer a coleta e destinação.

    1. Infraestrutura e equipamentos

Voltando à parte de legalização, você também precisa saber o que a Vigilância Sanitária exige para consultório odontológico, já que isso influencia diretamente a infraestrutura da empresa. As principais regras são:

    • Área mínima de 1,2 m² por pessoa na sala de espera;

    • Sanitários com área mínima de 1,6 m² e dimensão mínima de 1 m;

    • Depósito de material de limpeza com tanque com área mínima de 2 m² e dimensão mínima de 1 m;

    • Sala de lavagem e descontaminação de materiais com pia, bancada e guichê para área limpa com área mínima de 4,8m²;

    • Sala de preparo, esterilização e estocagem de material com bancada, armários e guichê de distribuição com área mínima de 4,8 m². 

Fora essas exigências, procure listar todos os equipamentos, móveis, suprimentos e até mesmo softwares que você precisa para que seu consultório odontológico funcione de acordo com o planejado.

Pesquise bastante sobre os equipamentos e tecnologias disponíveis, buscando por uma boa relação de custo-benefício quanto à sua qualidade, modernidade e retorno potencial.

    1. Contratação da equipe

Mesmo que seu consultório odontológico seja pequeno, recomenda-se contar com pelo menos uma secretária para ajudar na organização da agenda, na recepção dos pacientes e nas demandas do dia a dia.

Na medida em que o negócio crescer, vale considerar a contratação de mais colaboradores, como um auxiliar, técnico em saúde bucal ou até mesmo um gestor, por exemplo. 

Para fazer contratações assertivas, avalie quantas e quais pessoas serão necessárias para atender à demanda da empresa

Na hora de recrutá-las, tenha clareza sobre suas funções, habilidades e formação para os cargos desejados. 

    1. Gestão financeira e orçamentária

A gestão financeira é um dos aspectos mais importantes para o sucesso de qualquer negócio, incluindo um consultório odontológico. 

Afinal, é ela que vai garantir que a empresa tenha recursos suficientes para operar e crescer de forma sustentável. Para isso, é importante:

    • Ter um orçamento claro e realista: ele deve prever as receitas e despesas da empresa, de forma a garantir que haja equilíbrio entre os dois;

    • Controlar as despesas: é importante acompanhar de perto os gastos do negócio, para identificar possíveis desperdícios e tomar medidas para reduzir custos.

    • Investir de forma inteligente: o dinheiro deve ser investido com cautela, de forma a gerar retornos positivos.

Implemente um sistema de cobrança que seja fácil de usar e que permita que você receba os pagamentos dos pacientes em dia. 

Também é importante ter um controle preciso do estoque de materiais e medicamentos, para evitar desperdícios e atrasos nos procedimentos.

    1. Marketing e estratégias de atração de pacientes

Depois de se atentar a todos os detalhes que citamos até aqui, você deve estar se perguntando como atrair pacientes para o consultório odontológico.

Primeiro, tenha em mente que hoje em dia as pessoas prezam pela qualidade do serviço tanto ou mais que o preço. Por isso, preste sempre um atendimento humanizado, atencioso e de excelência.

Assim, os pacientes sempre irão lembrar de você. Além disso, eles irão indicar sua empresa para amigos e familiares, impulsionando o marketing boca a boca.

Já para atrair quem nunca teve contato com seu consultório odontológico, reforçamos novamente a necessidade de conhecer bem o seu público-alvo

Com esse conhecimento, você poderá encontrar os canais certos para divulgar sua marca. Veja algumas dicas:

    • Invista em um site profissional;

    • Cadastre-se no Google Perfil da Empresa (antigo Google Meu Negócio) para o site ser encontrado nas pesquisas;

    • Tenha uma página ativa no Instagram, Facebook ou outras redes sociais;

    • Padronize sua identidade visual e gere conteúdo de valor para o público;

    • Considere investir em anúncios online ou no marketing offline;

    • Foque a divulgação nos pontos fortes que diferenciam seu negócio da concorrência;

    • Esteja atento às regras e direcionamentos voltados para a publicidade em odontologia, são eles: Código de Ética Odontológica, Código de Defesa do Consumidor, regimento dos Conselhos de Odontologia, tanto federal quanto regional, entre outros.

    1. Cuidados com a manutenção e atualização

Por fim, a manutenção e atualização do consultório odontológico são essenciais para garantir a segurança dos pacientes e a eficiência dos procedimentos. 

Veja alguns cuidados para incluir no seu planejamento:

    • Mantenha os equipamentos em bom estado;

    • Realize manutenções preventivas;

    • Atenda às normas de segurança;

    • Faça inspeções periódicas para identificar possíveis problemas;

    • Mantenha os materiais de limpeza e esterilização em boas condições;

    • Atualize-se sobre as últimas tecnologias disponíveis no mercado.

Gostou das dicas que compartilhamos neste artigo? Quer ir além e dominar ainda mais práticas para ter sucesso na administração do seu consultório odontológico? 

Baixe agora o ebook: Guia da gestão para consultório odontológico: como garantir eficiência e excelência no atendimento.

Perguntas frequentes:

Como atrair pacientes para consultório odontológico?

Para atrair pacientes, é essencial oferecer um atendimento humanizado e de qualidade. Além disso, conhecer bem o público-alvo permite escolher os canais certos de divulgação, como um site profissional, redes sociais e estratégias de marketing online/offline.

O que a vigilância sanitária exige para consultório odontológico?

A vigilância sanitária geralmente exige padrões de higiene rigorosos, esterilização adequada de instrumentos, descarte adequado de resíduos e a conformidade com normas de biossegurança em consultórios odontológicos.

Quanto custa para montar um consultório odontológico?

Conforme o Sebrae, a abertura de um consultório odontológico pequeno exige um investimento de cerca de R$ 75 mil. Contudo, esse valor pode variar significativamente de acordo com o porte, região e área de atuação da empresa.