13 Julho 2020

Saúde Digital no Brasil: fique por dentro desta estratégia!

O conceito de Saúde Digital tem ganhado destaque na democratização do acesso à saúde no Brasil. Continue a leitura e entenda mais sobre essa novidade na medicina!

Com a transformação digital na saúde no mundo presente em cada detalhe de nossas vidas, o conceito de saúde digital é amplamente discutido por profissionais da área médica. 

No início deste ano foi regulamentada pela Câmara de Saúde 4.0 a saúde digital, com o intuito de promover o acesso à saúde em lugares ainda mais afastados dos grandes centros urbanos.

Isso significa que especialistas poderão atender pacientes que estão em cidadezinhas mais isoladas apenas com o auxílio da internet e dispositivos móveis. Sem contar a grande mudança na medicina como a conhecemos. 

Pare para pensar na precisão do diagnóstico e o impacto na qualidade de vida que a saúde digital pode proporcionar a todos. Não é incrível?

Se quer aprender mais sobre saúde digital, continue a leitura e fique pode dentro de todas as inovações tecnológicas do momento!

O que é saúde digital?

Também conhecida como saúde 4.0 e e-saúde, a saúde digital, segundo o Ministério da Saúde, consiste em utilizar os recursos tecnológicos para ampla divulgação da saúde, com “informações confiáveis sobre o estado de saúde para quem precisa, no momento que precisa”. 

Com essa gama de informações você, profissional da saúde, terá acesso facilitado a dados de pacientes, o que vai aumentar a precisão do diagnóstico, sem contar na rapidez que o seu paciente terá para iniciar seu tratamento e garantir a qualidade de vida e bem-estar.

E não é só isso, ainda há muitas ferramentas tecnológicas que podem te ajudar a inovar ainda mais, ofertando o que há de melhor no mercado digital para seus clientes. 

Dica: Aqui nesse e-book sobre tecnologia em clínicas e consultórios você não perde nada do que há de novo no mercado de tecnologias na saúde. 

Diferença entre saúde digital e telessaúde:

Até podemos confundir uma com a outra, mas a principal diferença entre elas é que a telessaúde é um campo que envolve as iniciativas digitais, como é a telemedicina

Já a saúde digital é uma área de atuação ainda mais ampla. Trata-se de uma estratégia para cuidar de pacientes, inovar em procedimentos, treinar e capacitar médicos, como também pesquisar, analisar e descobrir novos tratamentos. 

Além disso, o principal objetivo é encurtar as distâncias geográficas, por isso, a saúde digital é mais uma das áreas que utilizam a Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). 

A própria OMS definiu que a finalidade da saúde digital é o monitoramento em massa

Já pensou em ter num único lugar a informação de todos os pacientes, seja particular ou público, isso será possível com a saúde digital.

Isso significa criar uma grande rede de armazenamento de dados da população, como um grande prontuário eletrônico. 

Em sua fala, o ex-ministro da saúde Henrique Mandetta afirma que a intenção é que cada paciente tenha um prontuário eletrônico que irá reunir “consulta na atenção básica, resumo da internação, medicação consumida, exames laboratoriais e vacinas”.

Assim, todo o histórico do paciente ficará disponível para redes públicas e privadas de saúde. 

Com tanta inovação, espera-se aumentar a qualidade de vida e o conforto da população, afinal, saúde não é só tratamento de doenças, está intimamente ligada ao bem-estar social.  

Uma dica extra: a tecnologia e inovação na saúde veio para ficar, por isso o Ministério da Saúde disponibilizou um curso de capacitação para gestores em saúde sobre Tecnologias em Saúde no SUS. Vale a pena dar uma olhadinha clicando aqui!

Inovação na saúde: quais os benefícios?

Antes de qualquer coisa, o conceito da saúde 4.0, assim como no mercado, uma rede de informações colaborativa utiliza a Internet das Coisas (IoT) e as TICs. 

Por meio de sistemas com armazenamento em nuvem, por exemplo, as informações chegam muito mais rápido, sendo totalmente viável a prevenção de doenças, diagnósticos mais assertivos e monitoramento de pacientes a distância. 

E não é só isso, a telemedicina é uma ferramenta presente na saúde digital. Além disso, mostrou-se totalmente eficiente neste cenário de pandemia em que é tão importante manter o isolamento social. 

Pensando nisso, listei aqui para você quais são as outras possibilidades que a saúde digital engloba:

Dispositivos médicos: isso inclui sistemas de gestão clínica e outros dispositivos tecnológicos capazes de monitorar, tratar e prevenir doenças. 

Telediagnóstico: No telediagnóstico, o médico, mesmo a distância, pode ajudar colegas e outros profissionais a chegar num rápido diagnóstico com a emissão de laudos a distância. Para o paciente isso é um grande ganho, pois ele consegue, bem mais rápido, iniciar seu tratamento.

Teleconsulta: A teleconsulta é como a consulta presencial, só que feita de forma online, com a ajuda da internet. Pode ser mediado pelo uso de novas tecnologias, como aplicativos e softwares médicos.

Teleducação: Com a educação a distância, ganha-se a oportunidade para profissionais da saúde treinarem e se capacitarem em boas instituições, com especialistas, a fim levar mais médicos a lugares mais distantes. 

Por isso, a saúde digital surge como oportunidade de avançar ainda mais na nossa qualidade de vida.

Gostou do nosso conteúdo? Que tal dar uma olhadinha em outros temas para complementar a sua leitura?!

  1. 10 motivos para aderir à telemedicina;
  2. Telemedicina na Prática: aprenda como aplicar a tecnologia no seu dia a dia;
  3. Laudos médicos a distância: como funciona na telemedicina;
  4. Vantagens no uso da voz para escrever seus laudos. 
  5. O que é medicina preditiva e como utilizar essa estratégia na sua clínica?

Potencialize sua prática profissional com o modelo de Laudo para Profissionais de Saúde